Elizabeth Barbosa  CRP 06/84614  Rua Potiguares, 136 - Tatuapé -  Whatsapp (11) 996300954

 

Transtorno de pânico 

 

Ansiedade incluem transtornos que compartilham características de medo e   ansiedade excessivos e perturbações comportamentais relacionados.

Medo é a resposta emocional a ameaça iminente real ou percebida, enquanto ansiedade é a  antecipação de ameaça futura.

 

Medo, ansiedade ou esquiva é quase sempre imediatamente induzido pela situação    fóbica, até um ponto em que é persistente e fora de proporção em relação ao risco    real que se apresenta, uma hiper valorização da situação.

 

As características principais do transtorno de ansiedade generalizada são   ansiedade e preocupação persistentes e excessivas acerca de vários domínios,   incluindo desempenho no trabalho e escolar, que o indivíduo encontra dificuldade   em controlar. Além disso, são experimentados sintomas físicos, incluindo     inquietação ou sensação de “nervos à flor da pele”; fatigabilidade; dificuldade de concentração ou “ter brancos”; irritabilidade; tensão muscular; e perturbação do sono.

 

Os ataques de pânico se destacam dentro dos transtornos de ansiedade como um tipo particular de resposta ao medo, o medo ou da ansiedade são provisórios, com frequência induzidos por estresse.

 

Os ataques de pânico são ataques abruptos de medo intenso ou desconforto intenso que atingem um pico em poucos minutos, acompanhados de sintomas físicos e/ou cognitivos. Esses ataques podem ser esperados, como em resposta a um objeto ou situação normalmente temido, ou inesperados e recorrente significando que o ataque não ocorre por uma razão aparente.

Recorrente: mais de um ataque de pânico inesperado.

Inesperado:  um ataque de pânico para o qual não existe um indício ou desencadeante óbvio no momento da ocorrência, o ataque parece vir do nada, como quando o indivíduo está relaxando ou emergindo do sono (ataques de pânico noturno)

Esperados: são ataques para os quais existe um indício ou desencadeante óbvio, como uma situação em que os ataques de pânico ocorrem geralmente.

 

Em termos de gravidade, os indivíduos com transtorno de pânico podem ter ataques com sintomas completos (quatro ou mais sintomas) ou com sintomas limitados (menos de quatro sintomas), e o número e o tipo de sintomas do ataque de pânico frequentemente diferem de um ataque de pânico para o seguinte. Contudo, existe a necessidade de um ataque de pânico completo e inesperado para o diagnóstico de transtorno de pânico.

Quatro ou mais desses sintomas devem estar presentes em um ataque de pânico completo:

 

1. Palpitações, coração acelerado, taquicardia.

2. Sudorese.

3. Tremores ou abalos.

4. Sensações de falta de ar ou sufocamento.

5. Sensações de asfixia.

6. Dor ou desconforto torácico.

7. Náusea ou desconforto abdominal.

8. Sensação de tontura, instabilidade, vertigem ou desmaio.

9. Calafrios ou ondas de calor.

10. Parestesias (anestesia ou sensações de formigamento).

11. Desrealização (sensações de irrealidade) ou despersonalização (sensação de estar distanciado de si mesmo).

12. Medo de perder o controle ou “enlouquecer”.

13. Medo de morrer

 

Indivíduos com transtorno de pânico com frequência preveem um resultado catastrófico a partir de um sintoma físico leve ou efeito colateral de medicamento (p. ex., pensar que pode ter um infarto agudo do miocárdio ou que uma dor de cabeça significa a presença de um tumor cerebral).

 

A chave para lidar com um estado de ansiedade é aceitá-lo totalmente. Bernard Rangé é um precursor dos estudos sobre a Ansiedade. Desde o seu primeiro paciente, agorafobico.

Permanecer no presente e aceitar a sua ansiedade fazem-na desaparecer. Para lidar com sucesso com sua ansiedade você pode utilizar a estratégia “A.C.A.L.M.E.-S.E.”, de oito passos.

 

 

Apresentação1.jpg

Fontes

DSM-5 online

Psicoterapias Cognitivo-comportamentais - Um Diálogo Com a Psiquiatria - 2ª Ed. Bernard Rangé. ​​​​​​​