Elizabeth Barbosa  CRP 06/84614   -   Rua Potiguares, 136 - Tatuapé -  Whatsapp (11) 996300954

Ansiedade

 

A ansiedade é um estado emocional que faz parte da vida. Encontrar a pessoa por quem se está apaixonado causa ansiedade assim como a entrevista para um novo emprego. Antes de uma prova, por exemplo, esse estado de ânimo é produtivo, fazendo com que o estudante esteja alerta e preparado para o desafio.
 
Mas quando a ansiedade passa a afetar negativamente o dia-a-dia há um problema. Se alguém não consegue mais seguir sua rotina, seja no trabalho, na escola ou na vida social, a ansiedade está em um nível 

 

pode estar sofrendo de um transtorno de ansiedade. A síndrome do pânico faz parte destes transtornos.
 
Muitas pessoas podem ter síndrome do pânico e não saberem por não reconhecerem os sintomas
 
O transtorno do pânico (TP) é caracterizado pela presença de ataques de pânico recorrentes que consistem em uma sensa- ção de medo ou mal-estar intenso acompanhada de sintomas físicos e cognitivos e que se iniciam de forma brusca, alcançando intensidade máxima em até 10 minutos. Estes ataques acarretam preocupações persistentes ou modifi cações importantes de comportamento em relação à possibilidade de ocorrência de novos ataques de ansiedade. 
 

Critérios para o TP segundo o DSM (D):
 
• Período de intenso medo e desconforto, em que quatro ou mais dos seguintes sintomas se desenvolvem e atingem seu      pico em 10 minutos;
• Falta de ar (dispneia) ou sensação de asfixia;
• Vertigem, sentimentos de instabilidade ou sensação de desmaio;
• Palpitações ou ritmo cardíaco acelerado (taquicardia);
• Tremor ou abalos;
• Sudorese;
• Sufocamento;
• Náuseas ou desconforto abdominal;
• Despersonalização ou desrealização;
• Anestesia ou formigamento (parestesias);
• Ondas de frio e calor;
• Dor ou desconforto no peito;
• Medo de morrer;
• Medo de enlouquecer ou cometer ato descontrolado;
 
• Deve haver pelo menos um mês de preocupação persistente acerca de ter outro ataque de pânico, preocupação acerca das possíveis implicações ou consequências dos ataques de pânico, ou uma alteração comportamental significativa relacionada aos ataques.
 
• Ataques recorrentes de uma ansiedade grave (ataques de pânico), que não ocorrem exclusivamente numa situação ou em circunstâncias determinadas, mas de fato são imprevisíveis;
• Sintomas comportam a ocorrência brutal de palpitação e dores torácicas, sensações de asfixia, tonturas e sentimentos de irrealidade (despersonalização ou desrealização). Além disso, há frequentemente um medo secundário de morrer, perder o autocontrole ou de ficar louco.

 

Transtorno de Pânico em crianças
 
Sintomas do TP em crianças e adolescente se assemelham aos dos adultos, manifestando-se com palpitação, tremores, agitação, tonturas, falta de ar, fraqueza, sudorese, dor no peito, desconforto abdominal, náuseas, parestesia e medo de perder o controle.
 

Ataques de Pânico noturno


Os ataques de pânico noturnos são caracterizados por um despertar repentino do sono em um estado de pânico, definido como um período rápido e abrupto de medo intenso ou desconforto, acompanhado por sintomas físicos ou cognitivos, que ocorre sem uma situação desencadeadora óbvia.
 

Stresse e TP

Uma série de estudos aponta para a alta prevalência de estressores de vida precedentes ao TP, como uma doença grave ou acidente envolvendo um membro da família, ou amigo próximo, doença física pessoal, agravamento das relações com cônjuge, problemas com chefe, e piora condições de vida no trabalho. 

 

Veja a figura abaixo.
  
 

 

sindrome-panico.jpg